Pipoca de Pimenta | Diversão é entender o conteúdo!
Dominação
Publicado por Guilherme Pin em 04.01.2017
Sinopse
Quando uma mãe solteira testemunha terríveis sintomas de possessão demoníaca em seu filho de 11 anos, um representante do Vaticano contata um cientista cadeirante, Dr. Seth Ember, que tem a capacidade de entrar no subconsciente de pessoas possuídas. Caberá ao Dr. Seth livrar a criança deste espírito maligno, que possui poderes nunca visto antes.
Ficha Técnica
  • Direção: Brad Peyton
  • Roteiro: Ronnie Christensen
  • Gênero: Terror
  • Produção: Jason Blum, Michael Seitzman
  • Elenco: Aaron Eckhart, Carice Van Houten, John Pirruccello, Catalina Sandino Moreno, David Mazouz
  • Nacionalidade: Estados Unidos
  • Ano de Produção: 2016
  • Data de Lançamento: 05 de janeiro
  • Distribuição: PlayArte
Classificação
  • Direção:
  • Roteiro:
  • Fotografia:
  • Trilha-Sonora:
  • Montagem:
  • Efeitos Especiais:
  • Maquiagem:
  • Figurino:
  • Efeitos Visuais:
  • Direção de Arte:
  • Elenco:
poster-dominacao Divulgação
Nada melhor do que mais um filme de terror envolvendo demônios e espíritos, certo? Bem, nesse caso, não. O mercado do terror em Hollywood sempre passou por seus momentos exagerados de fases, com as sequencias intermináveis dos filmes de serial killers na década de 70 e 80, e agora, na era 2010, o gênero passa pela fase das possessões e dos demônios, como em ‘Invocação do Mal’ (2013), série ‘Atividade Paranormal’ (2007-2015), ‘O Ritual’ (2011), entre outros. E muitos vão seguindo a correnteza, esperando chegar no mesmo lugar que os filmes aqui citados, mas, não é bem assim.
Apesar do gênero de terror ser muito forte, ainda mais com o público jovem, são poucos os que conseguem trazer um equilíbrio de uma boa história e uma boa direção, muitas vezes não apresentando nenhum dos dois, o que é o caso do filme de Peyton, que com apenas três longas na carreira, incluindo ‘Como Cães e Gatos 2’ (2010) e ‘Viagem 2: A Ilha Misteriosa’ (2012), ele ainda não mostrou para o que veio.
Incarnate Divulgação
Peyton, com seus dois filmes citados, demonstrou uma direção mais voltada ao público jovem e com histórias mais voltadas a esse público, até em ‘Terremoto: A Falha de San Andreas’ (2015), onde ele foge um pouco da infantilidade, ainda traz um perfil mais juvenil. E com ‘Dominação’ não é tão diferente. Querendo uma pegada com cenas de ação e com mais suspense, o diretor não apresenta uma boa história e mostra que, mesmo seguindo um padrão do gênero, ele não sabe dirigir filmes de terror. Toda a sua ambientação não faz o espectador se interessar, além de Peyton não conseguir construir tensão alguma o filme inteiro, e até quando tenta criar um ato mais dramático, ele falha miseravelmente.
Além de não explorar o ambiente ou movimento de câmeras para sustos, Peyton também não demonstrou capacidade em dirigir um elenco. ‘Dominação’ traz fortes nomes recentes, como o do jovem David Mazouz, mais conhecido recentemente como o jovem Bruce Wayne na série ‘Gotham’ e a própria Carice Van Hounten, com um grande papel em ‘Game Of Thrones’, e mesmo assim não consegue explora-los, tanto no drama quanto no terror. E Aaron Eckhart mostrou que segue não tendo boas escolhas de filmes de terror.
dominacao-01 Divulgação
O roteiro de Christensen, apesar de previsível e bem mediano, tentou trazer pequenos diferenciais. Com fortes referências à ‘Sobrenatural’ (2010) e certas vezes à ‘Constantine’, o longa conseguiu apresentar um personagem que procura se distanciar da religião e não trazer o caso como exorcismo, mas ainda assim, a solução do longa traz o clichê e retoma a religião como o assunto central. Christensen sequer construiu bons personagens, não dando o peso necessário para que a trama siga de forma natural. É apresentado um motivo ao personagem principal, mas que não convence em nenhum momento, e mistura-lo com mais personagens sem peso para carregar o filme, deixa o espectador bocejando na cadeira esperando as luzes ascenderem.
Além de personagens fraquíssimos, o roteiro também não trata o público da melhor forma, onde muitas vezes o personagem explica um fato e minutos depois o explica novamente, deixando os diálogos mais pobres, repetitivos e chatos. Com uma trilha sonora dispensável, ‘Dominação’ é um filme facilmente esquecível, e não deve ser justificado apenas pelo roteiro, já que ‘Invocação do Mal 2’ (2016) traz um roteiro um tanto quanto previsível e comum, mas é bem executado, principalmente na direção. Agora, em ‘Dominação’, é fácil observar que Peyton tentou, mas nem o “feijão com arroz” conseguiu executar corretamente, mas ainda não podemos rebaixar tanto o diretor, já que ainda está em seu início de carreira, aliás, com filmes e elenco “grandes”, mas se continuar seguindo essa mesma linha, Peyton não irá tão longe.
Incarnate Divulgação
Resta o gênero do terror esperar mais alguns meses para um forte representante no cinema, já que, com personagens mal desenvolvidos, fotografia decepcionante e um roteiro medíocre, ‘Dominação’ deixa o início de 2017 meio amargo.
Tags
Vem Comentar!
Apagar Luz
Assistir ao Trailer
Pimenta FinalPimentão
Pimentão é um fruto do tipo baga, de formato cônico, semi-cônico, retangular ou quadrado, encontrado em variadas cores, como o amarelo, verde, vermelho, creme, laranja e roxo, de uma espécie de planta arbustiva cujo nome científico é Capsicum annuum L. A grande maioria dos especialistas em pimentas não considera o pimentão como tal. Ele representa os filmes que deixam muita a desejar, e que podem ser chamados de ruins, apesar de ainda apresentarem alguns pontos positivos.
Sinopse
Quando uma mãe solteira testemunha terríveis sintomas de possessão demoníaca em seu filho de 11 anos, um representante do Vaticano contata um cientista cadeirante, Dr. Seth Ember, que tem a capacidade de entrar no subconsciente de pessoas possuídas. Caberá ao Dr. Seth livrar a criança deste espírito maligno, que possui poderes nunca visto antes.
Ficha Técnica
  • Direção: Brad Peyton
  • Roteiro: Ronnie Christensen
  • Gênero: Terror
  • Produção: Jason Blum, Michael Seitzman
  • Elenco: Aaron Eckhart, Carice Van Houten, John Pirruccello, Catalina Sandino Moreno, David Mazouz
  • Nacionalidade: Estados Unidos
  • Ano de Produção: 2016
  • Data de Lançamento: 05 de janeiro
  • Distribuição: PlayArte
Classificação
  • Direção:
  • Roteiro:
  • Fotografia:
  • Trilha-Sonora:
  • Montagem:
  • Efeitos Especiais:
  • Maquiagem:
  • Figurino:
  • Efeitos Visuais:
  • Direção de Arte:
  • Elenco:
poster-dominacao Divulgação
Nada melhor do que mais um filme de terror envolvendo demônios e espíritos, certo? Bem, nesse caso, não. O mercado do terror em Hollywood sempre passou por seus momentos exagerados de fases, com as sequencias intermináveis dos filmes de serial killers na década de 70 e 80, e agora, na era 2010, o gênero passa pela fase das possessões e dos demônios, como em ‘Invocação do Mal’ (2013), série ‘Atividade Paranormal’ (2007-2015), ‘O Ritual’ (2011), entre outros. E muitos vão seguindo a correnteza, esperando chegar no mesmo lugar que os filmes aqui citados, mas, não é bem assim.
Apesar do gênero de terror ser muito forte, ainda mais com o público jovem, são poucos os que conseguem trazer um equilíbrio de uma boa história e uma boa direção, muitas vezes não apresentando nenhum dos dois, o que é o caso do filme de Peyton, que com apenas três longas na carreira, incluindo ‘Como Cães e Gatos 2’ (2010) e ‘Viagem 2: A Ilha Misteriosa’ (2012), ele ainda não mostrou para o que veio.
Incarnate Divulgação
Peyton, com seus dois filmes citados, demonstrou uma direção mais voltada ao público jovem e com histórias mais voltadas a esse público, até em ‘Terremoto: A Falha de San Andreas’ (2015), onde ele foge um pouco da infantilidade, ainda traz um perfil mais juvenil. E com ‘Dominação’ não é tão diferente. Querendo uma pegada com cenas de ação e com mais suspense, o diretor não apresenta uma boa história e mostra que, mesmo seguindo um padrão do gênero, ele não sabe dirigir filmes de terror. Toda a sua ambientação não faz o espectador se interessar, além de Peyton não conseguir construir tensão alguma o filme inteiro, e até quando tenta criar um ato mais dramático, ele falha miseravelmente.
Além de não explorar o ambiente ou movimento de câmeras para sustos, Peyton também não demonstrou capacidade em dirigir um elenco. ‘Dominação’ traz fortes nomes recentes, como o do jovem David Mazouz, mais conhecido recentemente como o jovem Bruce Wayne na série ‘Gotham’ e a própria Carice Van Hounten, com um grande papel em ‘Game Of Thrones’, e mesmo assim não consegue explora-los, tanto no drama quanto no terror. E Aaron Eckhart mostrou que segue não tendo boas escolhas de filmes de terror.
dominacao-01 Divulgação
O roteiro de Christensen, apesar de previsível e bem mediano, tentou trazer pequenos diferenciais. Com fortes referências à ‘Sobrenatural’ (2010) e certas vezes à ‘Constantine’, o longa conseguiu apresentar um personagem que procura se distanciar da religião e não trazer o caso como exorcismo, mas ainda assim, a solução do longa traz o clichê e retoma a religião como o assunto central. Christensen sequer construiu bons personagens, não dando o peso necessário para que a trama siga de forma natural. É apresentado um motivo ao personagem principal, mas que não convence em nenhum momento, e mistura-lo com mais personagens sem peso para carregar o filme, deixa o espectador bocejando na cadeira esperando as luzes ascenderem.
Além de personagens fraquíssimos, o roteiro também não trata o público da melhor forma, onde muitas vezes o personagem explica um fato e minutos depois o explica novamente, deixando os diálogos mais pobres, repetitivos e chatos. Com uma trilha sonora dispensável, ‘Dominação’ é um filme facilmente esquecível, e não deve ser justificado apenas pelo roteiro, já que ‘Invocação do Mal 2’ (2016) traz um roteiro um tanto quanto previsível e comum, mas é bem executado, principalmente na direção. Agora, em ‘Dominação’, é fácil observar que Peyton tentou, mas nem o “feijão com arroz” conseguiu executar corretamente, mas ainda não podemos rebaixar tanto o diretor, já que ainda está em seu início de carreira, aliás, com filmes e elenco “grandes”, mas se continuar seguindo essa mesma linha, Peyton não irá tão longe.
Incarnate Divulgação
Resta o gênero do terror esperar mais alguns meses para um forte representante no cinema, já que, com personagens mal desenvolvidos, fotografia decepcionante e um roteiro medíocre, ‘Dominação’ deixa o início de 2017 meio amargo.